Como Não Procrastinar e Desbloquear Seu Crescimento

JUNTE-SE A MILHARES DE PESSOAS

Receba devocionais de sabedoria direto em seu email. É 100% grátis!

Como vencer a procrastinação

Já sabemos que procrastinação é uma praga, então: Como não procrastinar?

Você se sente paralisado com uma porção de coisas para fazer. Sente que a vida vai avançando implacavelmente e você vai “empurrando-a com a barriga”, destruindo parte do seu futuro.

Ler um livro, fazer uma viagem, cuidar da saúde, fazer um curso online, restaurar seu casamento, viver seu propósito de vida, tudo isso parece um bicho-de-sete-cabeças que nunca será realizado.

Você começa uma tarefa e não termina. Às vezes, não consegue nem começar. Se sente imóvel, cheio de dúvidas diante daquele monte de coisas para fazer.

Parece familiar? Se é o seu caso, você sofre de um problema chamado procrastinação.

Não sei se você já se perguntou:

O que é procrastinação? Como evitar procrastinar? Quais são as consequências da procrastinação? Será que procrastinar é pecado? O que a Bíblia fala sobre isso? Quais são as principais estratégias e técnicas para vencer a procrastinação? O que a ciência fala sobre o assunto?

Escrevi este artigo para responder essas e outras dúvidas. Continue lendo para:

  • Saber o que significa procrastinação.
  • Conhecer as consequências da procrastinação.
  • Saber o que a Bíblia diz sobre o tema.
  • Aprender 15 maneiras poderosas para vencer a procrastinação.
  • Acessar um resumo prático e objetivo sobre o assunto.

Antes de continuar, quero convidar você a assistir minha aula ao vivo sobre procrastinação. É só clicar aqui e cadastrar seu e-mail que envio o link da transmissão.

Agora, vamos estudar o significado de procrastinar.

O que é procrastinação?

Segundo o dicionário, procrastinação é o “ato ou efeito de procrastinar; adiamento, demora […]”.

O procrastinador é aquele que vive adiando ou prolongando as coisas, incluindo as tarefas urgentes e importantes. Ele fica “jogando para frente” decisões, resoluções e tarefas que deveriam estar sendo feitas no presente momento.

Em certa medida, a procrastinação é algo normal. Todos postergamos certas situações de vez em quando. Contudo, algumas pessoas podem se tornar “procrastinadoras profissionais”, causando vários problemas na vida.

Tudo isso pode estar relacionado a preguiça, negligência, medo, desatachamento, irresponsabilidade entre outros, o que pode trazer sérias consequências.

Vejamos:

As consequências da procrastinação

Como já falei, toda pessoa é procrastinadora em algum nível. É perfeitamente normal.

Em casos extremos, entretanto, a procrastinação pode ter efeitos terríveis sobre a vida de alguém. Veja alguns deles:

  • Culpa: sensação constante de culpa por saber que deveria estar fazendo algo que não está.
  • Ansiedade: uma pessoa que vive adiando tarefas sempre vive com prazos apertados, vivendo em alto grau de estresse e ansiedade.
  • Físico: já foi comprovado cientificamente que o procrastinador tem maior probabilidade de sentir dores de cabeça, de estômago e de ter a imunidade mais baixa. Além disso, adiar exames, exercícios físicos e uma alimentação saudável pode trazer inúmeros problemas de saúde.
  • Profissional: procrastinar no trabalho pode fazer a pessoa perder ótimas oportunidades na carreira e ter sérias frustrações com a vida profissional.
  • Relacionamentos: procrastinar no namoro ou no casamento pode fazer a pessoa perder um grande amor, ou, no mínimo, ter relacionamentos ruins.
  • Vida espiritual: alguém que procrastina no âmbito espiritual pode ter uma vida vazia, sem propósito, cheia de dúvidas e crises existenciais.

Enfim, existem muito mais consequências ruins, mas já deu para ter uma ideia do que pode acontecer com um “procrastinador profissional”.

Sobre a vida espiritual, os cristãos se perguntam: o que a Bíblia fala sobre procrastinação?

Procrastinar é pecado?

Procrastinar na Bíblia

Porquanto ouvimos que alguns entre vós andam desordenadamente, não trabalhando, antes, fazendo coisas vãs.

2 Tessalonicenses 3:11

Ao fazer as pesquisas para este artigo, busquei informações sobre o que os teólogos já falaram a respeito de procrastinação. Apesar de ter feito uma pesquisa não tão aprofundada, logo percebi que eles enxergam isso como um pecado.

No texto bíblico citado acima, Paulo fala sobre pessoas que em vez de fazer o trabalho que deveriam, estavam envolvidas em atividades vãs. Elas até estavam fazendo alguma coisa, mas não o que deveriam estar fazendo.

Isso é interessante porque a procrastinação não se trata apenas de ficar adiando as coisas para ficar ocioso e improdutivo. Ela também fala de pessoas que escolhem mal as atividades com que se ocupam.

Não se trata apenas de preguiça ou de indecisão, mas de estar gastando o tempo com atividades sem sentido.

O pastor Joe Thorn fala a respeito da procrastinação:

Procrastinação é um pecado feio, que nos afasta de envolver-se e desfrutar os dons e responsabilidades que Deus nos dá. Ela nos diz que podemos brincar com nossos filhos outra hora, levar nossa esposa para sair no próximo mês, ou terminar aquele projeto em algum momento mais para frente porque Deus nos deve um futuro. É um jeito de fugir das coisas que Deus nos chamou para fazer hoje.

Joe Thorn

Jonathan Edwards, famoso teólogo e pregador, argumenta que procrastinar é desafiar a graça de Deus, rogando Dele um tempo futuro que podemos não ter.

Dessa forma, o procrastinador faz mau uso do tempo presente porque teoricamente é dever de Deus dar ao homem cada vez mais tempo lá na frente, assim não é preciso tomar a iniciativa agora.

Portanto, mesmo que não seja o objetivo fazer um estudo teológico sobre a procrastinação aqui, facilmente percebemos que se trata de um pecado com sérias consequências espirituais também.

Dito isso, quero compartilhar 15 maneiras para você vencer esse desafio. Vamos lá:

Como vencer a procrastinação?

#1 Tenha objetivos factíveis, específicos e fáceis

A primeira estratégia é ter objetivos factíveis, específicos e fáceis. O que isso significa?

  • Factível é algo realizável, possível de ser realizado.
  • Específico fala de algo mensurável, concreto e objetivo.
  • Fácil é transformar certa atividade em sua versão mais fácil possível.

Como isso funciona na prática?

Para quem não está acostumado a correr, participar de uma maratona não é nada factível. Fazer exercício físico pode ser um objetivo genérico e distante demais. Caminhar por duas horas pode ser um objetivo difícil demais.

Ter objetivos assim dificilmente funcionará.

O que seria, então, um objetivo factível, específico e fácil?

Caminhar por dez minutos. Qualquer pessoa consegue caminhar por dez minutos. O desafio é muito pequeno, por isso funciona.

Ler a Bíblia inteira pode não ser factível para a maioria das pessoas. Entretanto, ler cinco versículos se torna realizável, específico e fácil de fazer.

Assim, você pode iniciar grandes coisas decidindo:

  • Ler um livro por cinco minutos.
  • Fazer uma caminhada de quinze minutos.
  • Assistir apenas uma aula de um curso online.
  • Pesquisar uma academia no seu bairro.
  • Fazer um devocional por dez minutos.
  • Responder dois dos seus e-mails pendentes.

Tais objetivos são tão fáceis e realizáveis que você não terá nenhuma dificuldade para começar a sair da zona de conforto.

Isso nos leva a segunda estratégia:

#2 Dê o primeiro passo sem pensar no segundo

Adiar uma tarefa fácil, torna-a difícil. Adiar uma tarefa difícil, torna-a impossível.

George Lorimer

Construir um foguete é um feito complexo.

O procrastinador peca por “pensar grande demais”. Se precisa construir um foguete, ele foca no foguete inteiro. Ele erra ao olhar para a situação de uma perspectiva que fatalmente derrotará sua força de vontade.

O procrastinador foca no foguete, em vez de se concentrar em comprar o primeiro parafuso.

Pensar na complexidade do todo é muito mais intimidador e frustrante do que focar em apenas uma parte.

Imagine um saboroso bolo de laranja. A ideia aqui é você não focar no bolo, mas em uma fatia do bolo (uma parte do todo).

Você dá o primeiro passo sem olhar para o segundo.

Antes de saber isso, eu sofria muito para escrever um artigo como este. Não que eu não gostasse de escrever, mas eu me preocupava demais com o tamanho do artigo e, nessa altura me sentia paralisado pensando: “Nossa, vai dar um trabalhão danado”. Por isso, eu vivia adiando atividades que envolvia escrever.

Pensar no todo paralisa.

Até que comecei a pensar assim: “Vou escrever apenas um parágrafo”. Então, eu começava a escrever e não parava mais.

Até hoje, quando vou escrever um artigo, penso apenas no primeiro passo, na primeira fatia, no primeiro parafuso.

Pense comigo.

Uma pessoa pode estar passando por sérias dificuldades no seu matrimônio e não vendo saída considera o divórcio iminente. Se ela enxergar toda a situação vai ficar frustrada e sem forças para agir.

A procrastinação vai fazer com que ela fique adiando pequenas decisões que poderiam fazer grande diferença na saúde do casamento.

Uma solução seria parar de focar na restauração na totalidade, mas dar o primeiro passo, que poderia ser escrever um bilhete de “Eu te amo” e deixar sobre a cama.

Você pode até pensar: “Ah, Ramon, mas isso não vai funcionar. Isso não vai ser suficiente para salvar um casamento”.

Concordo com você, entretanto, a ideia é dar um pequeno passo. Depois, dar o segundo, o terceiro e assim por diante.

Foi exatamente assim que meu casamento foi transformado. Não que tenhamos enfrentado grandes problemas, mas minha esposa levou nosso casamento para outro nível com pequeninas atitudes. Posso dizer que as micro-decisões dela salvaram nosso casamento.

Aliás, uma pequena ação todos os dias destrói a procrastinação e pode ter um grande efeito ao longo do tempo. Se restaurar o casamento é algo difícil, dizer “eu te amo” leva apenas dois segundos.

Comece com isso.

Se você quer construir um foguete e evitar procrastinar, comece comprando o primeiro parafuso.

Se pensar que isso não é o suficiente, a Regra dos 2 Minutos vai ajudar.

#3 Regra dos 2 minutos

Regra dos dois minutos

Recentemente, através do escritor James Clear, tomei conhecimento de uma técnica chamada Regra dos 2 Minutos (2-minute rule).

A Regra dos 2 minutos, trazida pelo autor David Allen no livro Getting Things Done, é um grande aliado para você vencer a procrastinação de uma maneira simples e eficaz.

James conta que um de seus leitores usou essa técnica para perder quarenta e cinco quilos. Ele fez um compromisso consigo mesmo de ir até à academia todos os dias, mas não ficar mais do que cinco minutos.

Era isso mesmo: dirigir até a academia, se exercitar por apenas cinco minutos e ir embora.

Depois de algumas semanas, ele assimilou o hábito de ir à academia não conseguindo mais “não ir”.

Depois de mais algum tempo ele começou a pensar: “Já que estou vindo até aqui, é melhor ficar um pouco mais”.

Assim, com a Regra dos 2 Minutos, ele conseguiu vencer a procrastinação e perder quarenta e cinco quilos.

A regra afirma que quando você começa um novo hábito, deve fazê-lo em dois minutos ou menos. Se trata de reduzir uma tarefa a uma versão dela que dure apenas dois minutos.

Vou dar alguns exemplos:

  • “Escrever um artigo de dez páginas” se transforma em “escrever por dois minutos”.
  • “Escrever um livro” se transforma em “escrever 3 linhas”.
  • “Limpar a casa” se transforma em “arrumar as almofadas”.
  • “Ir caminhar” se transforma em “calçar o par de tênis”.
  • “Caminhar na esteira” se transforma em “dois minutos na esteira”.
  • “Aprender inglês” se transforma em “assistir uma aula no YouTube”.

A ideia é transformar qualquer atividade ou hábito em algo fácil de iniciar, tirando todos os entraves do caminho.

Todo mundo consegue ler um parágrafo, calçar o tênis ou arrumar as almofadas. O que acontece é que uma vez que você comece uma atividade simples, ficar muito mais fácil continuar a fazê-la.

Assim, a Regra dos 2 Minutos é apenas o portão que levará você a assimilar um novo hábito, bastando você ir até o portão.

Você não precisa se preocupar em fazer uma certa atividade, mas em fazer algo muito fácil relacionado a essa atividade.

Você só pode melhorar aquilo que já começou a fazer.

Aliás, não se trata nem de fazer, mas de “estar lá” para fazer, de marcar presença, assim como o rapaz que perdeu quarenta e cinco quilos.

Essa técnica começou a funcionar na minha vida assim que comecei a aplicá-la.

E funciona melhor ainda se aliada com a Regra dos 5 Segundos.

#4 Regra dos 5 segundos

A Regra dos 5 Segundos é um pouco semelhante à Regra dos 2 Minutos, mas trabalha mais no campo emocional e reativo.

De acordo com o livro de Mel Robbins, a Regra dos 5 Segundos é uma técnica poderosa para destruir a procrastinação.

Como funciona?

Assim que tiver o instinto de realizar uma tarefa ou começar uma nova atividade você deve reagir imediatamente (ou dentro de cinco segundos).

Se isso não ocorrer, seu cérebro vai começar a se inclinar para a procrastinação. A técnica serve para impedir que emoções como o medo e a ansiedade forcem você a começar a procrastinar.

É usar a seu favor a mesma reação que você teria ao ver uma criança se afogando na piscina. Se você passasse por uma situação assim, provavelmente não ficaria racionalizando sobre a temperatura da água ou sobre como ficaria todo molhado ao se jogar na água.

Você simplesmente se jogaria para salvar a criança!

Não se trata apenas de dar o primeiro passo, mas de dá-lo o mais rápido possível.

Segundo a técnica:

  • A leitura da Bíblia veio à sua mente? Reaja rápido abrindo a Bíblia e lendo.
  • Lembrou que precisa ter uma conversa séria com alguém? Abra o WhatsApp e marque um encontro.
  • Pensou em abrir uma empresa? Marque uma reunião com algum empresário para pedir conselhos.
  • Pensou em fazer uma faculdade à distância? Entre no site da faculdade.
  • Pensou em melhorar o casamento? Siga alguns especialistas no Instagram.
  • Pensou em ir à igreja? Tome um banho e vista-se.

A ideia é não dar chance para a racionalização que pode paralisar você. Naturalmente, você não vai reagir assim a todas as demandas do dia a dia, como veremos mais a frente.

Contudo, aquelas atividades que você sabe que precisa executar podem ser vencidas usando a Regra dos 5 Segundos.

#5 Saiba o que deixar para trás

Tem procrastinador que está sempre cheio de coisas para fazer, mas que não consegue fazer nada direito.

Muitos não conseguem nem começar as atividades que precisam começar, não porque são preguiçosos ou algo parecido. O que ocorre é que eles dizem sim para muitas coisas que não deveriam.

Algumas das pessoas mais ocupadas são as mais procrastinadoras que existem!

Ficam com tantas responsabilidades que não sabem o quê e como começar.

Deixar de ser procrastinador não quer dizer que você vai ter que dizer sim para tudo ou terminar tudo o que começou. Nada disso. Você precisa ser seletivo.

Se você começou um projeto, um livro ou uma atividade que não faz sentindo dentro do seu propósito de vida, deixe-os para trás.

Recentemente, tive que me desfazer de cerca de trinta livros que estavam ocupando espaço na minha estante e que eu nunca iria ler. São temas que não fazem parte do conhecimento que desejo assimilar no momento. Então, tive que deixá-los para trás.

O mesmo ocorreu com alguns grupos do WhatsApp que tive que sair.

Se você sente que há muitas coisas para fazer, avalie com carinho o que pode ser deixado para trás, de modo que você tenha menos escolhas para fazer no dia a dia.

Aprenda a dizer não para certas atividades.

#6 Identifique os seus picos de energia

Uma das principais barreiras que se levantam contra o procrastinador é a baixa energia para iniciar uma atividade. Tem uns seis ou sete anos que comecei a ter consciência sobre isso durante o dia.

Percebi que há certos horários em que minha energia vai lá em cima, que é quando fico empolgado para iniciar qualquer atividade, mesmo uma atividade maçante como atualizar uma planilha.

Aprendi que se quero parar de adiar uma tarefa importante, devo iniciá-la em horários específicos do dia. Costumo executar tais tarefas nos períodos em que tenho mais energia.

Por exemplo: costumo render melhor à noite. É o período do dia em que minha mente trabalha melhor. É quando fico mais criativo e motivado para iniciar uma atividade como escrever um novo artigo, por exemplo. O período da tarde já não é bom, que é quando me sinto cansado e sonolento.

Minha esposa rende melhor de madrugada, entre às onze e duas horas da manhã. É quando ela consegue organizar várias coisas e escrever os textos dela.

Enfim, cada pessoa tem seus horários de pico de energia e motivação durante o dia. Por isso, recomendo que você procure vencer o adiamento de certas tarefas nesses períodos.

É claro, só faça isso se você tem flexibilidade de horário. Se você trabalha em uma empresa que não lhe dá essa oportunidade, quem sabe você possa conversar sobre isso e se comprometer a render mais se puder trabalhar em certos horários.

#7 Não seja multitarefas

Foque em ser produtivo em vez de ocupado.

Tim Ferris

Não cair no erro de tentar fazer várias tarefas simultaneamente é uma das regras básicas da produtividade. Por isso, não vou dedicar muito tempo aqui.

Já foi provado cientificamente que tentar realizar várias tarefas diferentes ao mesmo tempo, ou num curto período, consome mais energia do que se você focasse em apenas uma tarefa.

Portanto, ao escolher fazer uma atividade, vá até o fim com ela. Foque nela até terminá-la. Só depois, vá para a próxima.

Onde fica a procrastinação nisso?

Quanto mais tarefas você tenta fazer ao mesmo tempo, maior é a possibilidade de adiar a conclusão dessas tarefas.

Ser multitarefas é um caminho fácil para você procrastinar.

Se você tentar fazer várias coisas ao mesmo tempo acabará não fazendo nenhuma. No mínimo, não fará com excelência.

Portanto, não fique mudando de tarefa em tarefa, como se estivesse sem rumo. Escolha uma e foque nela até acabar.

#8 Mate os distratores

Distratores estão por todo lugar, querendo tirar sua atenção das atividades importantes que você deveria estar fazendo.

Matar os distratores passa por eliminar qualquer atividade que esteja desperdiçando seu tempo e levando você para longe dos seus objetivos.

No meu caso, é o Twitter e o Instagram. Cada vez que entro nessas redes sociais, me vejo gastando um tempo precioso sem qualquer retorno para os meus objetivos.

Às vezes, entro nelas só para dar “aquela olhadinha” e quando percebo já se passaram uma ou duas horas.

De fato, redes como o YouTube, o Instagram ou o Facebook são planejadas para manter você lá, consumindo conteúdo após conteúdo. Você vê um vídeo e logo já aparecem outros vídeos semelhantes que você não consegue deixar de ver.

É uma armadilha atrás da outra.

Não sei quais são os seus distratores, se é TV, internet ou videogame, mas você sabe.

Se você não matá-los eles estarão sempre lá alimentando sua procrastinação.

#9 Reduza a fricção

Uma vez vi uma palestra do TED onde o palestrante associava a assimilação de um novo hábito com o lançamento de um foguete.

A forma como os foguetes são colocados no espaço é buscando o mínimo de fricção possível com o ar. Isso economiza combustível e possibilita o lançamento.

É como a aerodinâmica do avião que é projetada para ter o menor atrito com o ar possível.

Uma rápida dica: andar de carro com o vidro aberto realmente faz você gastar mais combustível.

O motivo: atrito.

A implantação de um novo hábito na sua vida pode ser facilitado reduzindo o atrito ao mínimo possível.

Se você vem procrastinando uma certa atividade tente reduzir a fricção em torno dela. Como? Tente torná-la mais divertida e agradável.

Dificilmente você diria “não” a um delicioso jantar com os familiares, a um jogo de futebol ou a um chá com as amigas. Por quê? Porque tais atividades são prazerosas para você.

Como transformar uma atividade chata em uma atividade prazerosa? Como reduzir o atrito de um novo hábito?

A resposta é que eu não sei. Você precisa ser criativo.

Quem sabe você possa usar conceitos de gamification para conseguir terminar aquela planilha chata.

Quem sabe você possa se premiar com um chocolate a cada etapa concluída.

Talvez, você possa preparar o ambiente de trabalho para que ele seja o melhor possível.

São só ideias.

Aqui em casa, preparei um local específico para incentivar minhas leituras. Comprei uma boa poltrona, uma luminária, coloquei carpete no chão e decoramos o ambiente.

O lugar ficou tão inspirador que “dá vontade de ler” ali.

Agora, tente ler em uma cadeira ruim, num ambiente mal iluminado e com barulho por todo lado. Assim fica fácil adiar a leitura porque há muito atrito na atividade.

Se você quer adquirir o hábito da leitura, a melhor maneira é preparar todo o ambiente para estimular você a ler (causando o menor atrito possível para a leitura).

Isso pode ser aplicado de várias formas a diversas atividades diferentes. Por exemplo, se você acha tedioso ir à academia, por que não faz exercícios escutando um podcast do seu interesse? Garanto que o tempo “passará muito mais rápido”.

Uma vez, na academia, o podcast estava tão interessante que desejei ficar mais tempo fazendo exercícios!

Enfim, seja criativo para encontrar um jeito de tornar a atividade a mais divertida e prazerosa possível.

#10 Não confie somente na impulsividade

Aproveite a impulsividade

Já vimos anteriormente que você pode se beneficiar daquele impulso inicial para iniciar uma atividade que você vem adiando.

No entanto, se um impulso pode ser bom, depender só da impulsividade pode fazer você desistir no meio do caminho.

Isso quer dizer que você não pode confiar naquela empolgação inicial quando você toma a decisão de ler a Bíblia inteira, fazer exercícios ou aprender inglês.

A impulsividade sozinha não será o suficiente, você precisará aplicar outras estratégias e técnicas para vencer a procrastinação.

Tente lembrar de alguma situação em que você prometeu a si mesmo iniciar certa atividade. Você aproveitou aquela emoção inicial e deu o primeiro passo.

No início você está com aquele gás todo, mas ao longo dos dias vai desanimando até desistir. Isso ocorre quando você depende unicamente daquele impulso inicial.

A impulsividade é como cheiro de carro de novo que quando vai embora leva junto aquela boa sensação de novidade. Quando a sensação de novidade vai embora, é ali que “o bicho pega”.

Após aquele impulso da emoção, você precisa tomar decisões racionais e bem fundamentadas para não depender apenas do “calor do momento” e desistir ali na frente.

Uma vez que você dá o primeiro passo, aproveite as técnicas que compartilho aqui no artigo para quando sentir que está “perdendo o fôlego”.

Uma delas é aprender a fazer pequenas correções no percurso.

#11 Faça pequenas correções

Se você está dirigindo em uma certa velocidade e virar o volante rápido demais o carro pode capotar.

Assim como dirigir um carro, deixar de procrastinar pode requerer mudanças graduais e não drásticas.

De fato, pessoas que tomam decisões muito drásticas não conseguem dar conta do tamanho das atividades que começaram e acabam desistindo no meio do caminho.

Por exemplo, se você percebe que iniciou uma atividade que não têm energia para terminar, em vez de desistir dela faça uma pequena correção.

Se realmente você não consegue ler um capítulo de um livro todo dia, reduza para duas páginas. Faça uma pequena correção e tente novamente.

Experimente até se achar confiante o suficiente para transformar a atividade em um hábito inquebrável.

#12 Não “chute o pau da barraca”

O procrastinador é alguém que facilmente “chuta o pau da barraca”.

Usando a mesma analogia do carro, se você está dirigindo na BR e de repente percebe que o carro está andando no acostamento, você gradualmente volta para a estrada.

Se você está muito à direita, basta trazer o carro um pouco para a esquerda, fazendo uma pequena correção.

Isso é importante porque na tentativa de vencer a procrastinação falhas vão acontecer. É perfeitamente normal.

O problema é muita gente desiste quando comete algum erro.

Uma pessoa que deseja se alimentar de forma saudável normalmente começa uma nova dieta na segunda-feira. Começa com toda energia, querendo vencer as tentações do açúcar e da gordura.

Na terça-feira ela vence o desafio facilmente.

O mesmo ocorre na quarta-feira.

Contudo, na quinta-feira começa a vir um pensamento assim: “Ah, vou comer só esse bombom. Eu mereço. Não como doce desde domingo”.

Nesse ponto, ela vai lá e come uma caixa de bombons inteira. Vem o sentimento de culpa.

Na sexta-feira, com a consciência pesada, ela pensa: “É, não adianta. Não sirvo para essas coisas. Vou desistir dessa dieta”.

O erro do procrastinador não está no desistir, mas vem um pouco antes disso, na decisão que ele toma após uma falha.

Em vez de ter desistido, a pessoa poderia ter pensado: “Ok, hoje eu errei, mas vou corrigir o curso. Amanhã continuo a dieta”.

Você precisa fazer dos erros uma exceção e não o hábito. Tudo bem que você começou um livro e deixou de lê-lo em um determinado dia. Apenas, corrija o curso e volte para a leitura o quanto antes.

Quando você vê que errou, não “chute o pau da barraca”. Reafirme o compromisso, traga o carro de volta para a estrada e continue a jornada.

Não seja uma pessoa inconstante, que toda hora está começando e desistindo de algo.

#13 Queime as pontes

Uma decisão mais radical contra a procrastinação é “queimar as pontes”.

O que isso significa?

Até onde sei, essa metáfora veio de uma lenda chinesa, em que um general cruzava o exército por uma ponte e depois mandava queimá-la.

Dessa forma, o exército só teria duas opções: (1) vencer ou (2) morrer. Não havia mais como voltar atrás.

É disso que a metáfora fala: é tomar uma decisão que impedirá você de retroceder. É o famoso se colocar em uma “sinuca de bico”.

Talvez, você esteja procrastinando porque tem muitas opções em frente, inclusive a opção de recuar.

Por exemplo: uma pessoa que sonha em abrir seu próprio negócio não o faz porque tem um ótimo emprego. Isso dá a ela “segurança” para procrastinar a abertura de sua empresa, que é o seu sonho de vida.

Neste caso, um pedido de demissão seria o “queimar as pontes”. É uma medida drástica, eu sei.

Contudo, muitas pessoas deixaram de procrastinar “queimando suas pontes”, ficando completamente impossibilitadas de recuar.

Um casal que recém casou pode enfrentar problemas ao continuar morando com os pais de um dos cônjuges.

“Queimar as pontes” nesse caso poderia ser dar a entrada de um apartamento. O valor da entrada pode ser tão alto que não vale a pena não se mudar.

Às vezes, a melhor saída é se colocar em uma rua sem saída.

#14 Focalize a transformação

Focalize na transformação

Pense no resultado, não no processo.

Tenha sempre em mente a sua transformação e não a atividade que você tem que desempenhar. Lembre-se constantemente da vitória que você alcançará no final da jornada.

Imagine a pessoa que você vai se tornar, em vez de ficar pensando nas dificuldades da caminhada. Desta forma, você terá muito mais razões para continuar e não desistir no meio do caminho.

Ao ler a Bíblia, enxergue-se conhecedor de riquezas que hoje você não conhece. Imagine você podendo compartilhar dessas riquezas com amigos e familiares. Que sensação maravilhosa!

Ao iniciar um blog, pense nas pessoas que você ajudará. Imagine você recebendo e-mails e comentários de pessoas que tiveram as vidas transformadas pelas coisas que você escreve.

Ao ir para a academia, pense no quão saudável você se tornará. Pense na vida ativa, cheia de energia, você se sentindo bem com seu corpo e tudo mais.

Ao iniciar um curso de inglês, pense nos benefícios de dominar aquele conhecimento. Foque em como isso impactará a sua vida, lhe trazendo mais satisfação e possibilidades na vida.

Ter a transformação e a vitória sempre em mente, dará a você muito mais combustível na jornada.

#15 Eleja um ajudante

No momento, estou fazendo faculdade à distância. Cada matéria online tem uma tarefa que é proposta ao final da última aula.

Com o tempo percebi que essa tarefa não é cobrada por ninguém. O professor simplesmente explica a tarefa e passa para a outra aula.

Quando me dei conta disso, passei a procrastinar a realização dessas tarefas.

Até hoje tenho uma porção delas acumuladas e nem sei se vou realizá-las.

Isso quer dizer que aquilo que não é cobrado provavelmente não é feito (ou dificilmente é feito).

A pessoa tem que ter muita vontade e energia para realizar uma tarefa que ninguém vai cobrar. Se você quer aumentar as chances de começar uma determinada atividade, eleja alguém para cobrar isso de você.

Essa pessoa pode ser um familiar, um amigo ou quem sabe um psicólogo, coach ou mentor. Não importa, desde que a pessoa tenha a liberdade de lhe fazer cobranças.

Torne seu desejo público e você se sentirá mais desafiado a realizar a atividade. Talvez, seja por isso que você vê suas redes sociais inundadas de pessoas na academia.

É possível que elas estejam se comprometendo publicamente para não desistir no caminho.

Ok, algumas fazem isso para aparecer mesmo. rsrsrs

Vamos para a prática?

Chegou a hora de fazermos fazer um trato.

Você não pode terminar este artigo sem tomar uma decisão prática. Não adianta só ficar no mundo das ideias, vamos vencer a procrastinação juntos.

Escolha uma atividade que você vem adiando por muito tempo e aplique duas ou três técnicas que aprendeu neste artigo.

Não importa a tarefa.

Vá para a vida real e vença a primeira batalha. Depois, compartilhe comigo a sua vitória. Me marque no Instagram e vamos comemorar juntos!

Resumo: Como não procrastinar

Como não procrastinar

Para facilitar a assimilação do conteúdo segue um resumo objetivo dos principais pontos do artigo:

  1. A procrastinação traz várias consequências ruins: ansiedade, culpa, doenças, estresse entre vários problemas na vida.
  2. Segundo a Bíblia, procrastinação é pecado e está associada a preguiça e negligência.
  3. Defina objetivos realizáveis, específicos e fáceis.
  4. Dê o primeiro passo sem pensar no segundo.
  5. Pequenas decisões podem fazer grande diferença em sua vida.
  6. Aplique a Regra dos 2 Minutos: para você iniciar um novo hábito, reduza-o a uma tarefa simples de dois minutos. A ideia é facilitar a assimilação de um novo hábito.
  7. Aplique a Regra dos 5 Segundos: use seu ímpeto emocional para iniciar uma atividade. Assim que pensar em fazer algo, reaja imediatamente, se não seu cérebro vai se inclinar para a procrastinação.
  8. Seja seletivo: aprenda a dizer não para atividades que não fazem sentido para você.
  9. Identifique os horários do dia em que você tem seus picos de energia. Use esses picos para iniciar as atividades.
  10. Não seja um multitarefas. Está cientificamente comprovado que não funciona.
  11. Mate todas as fontes de distração (ruído, TV, joguinhos, redes sociais, WhatsApp entre outros).
  12. Seja criativo para transformar as atividades maçantes em atividades prazerosas. Reduza o atrito!
  13. Não dependa somente da impulsividade. Começou uma atividade, aplique técnicas para não desistir no meio do caminho.
  14. Faça pequenas correções no percurso. Se as mudanças forem grandes demais, o “carro pode capotar”.
  15. Se errou, volte para a estrada. Não “chute o pau da barraca”.
  16. “Queime as pontes”. Tome decisões que colocam você em um beco com somente uma saída possível. Escolha caminhos que não possibilitam recuar.
  17. Focalize sua transformação. Olhe para o resultado, não para o processo. Tenha em mente a pessoa que você vai se tornar no futuro.
  18. Tenha um ajudante, alguém que cobrará você quando a procrastinação aparecer. Dê permissão para a pessoa lhe dar uma bronca caso você precise. Acredite, é para o seu bem.
  19. Não termine esse artigo sem uma decisão prática. Se você leu tudo o que está aqui e nada praticar, só desperdiçou tempo.
  20. Assista minhas aulas e lives ao vivo sobre procrastinação. Clique aqui para assistir.
  21. Leia o artigo Inconstância: 5 Chaves Para Não Ser Escravo Das Circunstâncias.
  22. Entre no meu grupo do Telegram, onde compartilho mais conteúdos como esse.

É isso aí! #BoraCrescer!

Deus te abençoe,
Ramon Tessmann

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no print
Imprimir

DESCUBRA O QUE A BÍBLIA FALA SOBRE SEPARAÇÃO E DIVÓRCIO

Livro gratuito por tempo limitado. Aproveite e baixe agora!

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo