Como descobrir meu propósito de vida?

JUNTE-SE A MILHARES DE PESSOAS

Receba devocionais de sabedoria direto em seu email. É 100% grátis!

Descobrindo propósito

Como descobrir meu propósito de vida? Por que me sinto tão infeliz? Por que não tenho prazer naquilo que faço? Qual é o sentido da minha vida? Por que tenho a sensação de que deveria estar envolvido com outras coisas? Por que não me sinto motivado ao acordar pela manhã? Como posso encontrar energia para planejar o futuro? Qual é a diferença entre propósito, chamado e vocação?

Essas perguntas sobre descobrir meu propósito me atormentaram por anos.

Me lembro que a partir de 2009, perto de fazer 30 anos, essas questões começaram a ecoar na minha mente, me acompanhando durante o dia até na hora de dormir. Por causa disso, passei várias noites em claro e também sofri com falta de apetite, sentimento de insegurança e falta de energia.

Com a minha esposa eu brincava que era a crise dos 30, mas não, era a “crise do propósito”!

Eu tinha chegado a seguinte conclusão: quando fizer 30 anos, terei metade de 60. Na minha infância, chegar aos 60 anos era algo muito distante. Agora, eu já estava chegando na metade do caminho sem ter certeza do meu propósito de vida!

Não me entenda mal.

A vida “perfeita”

Tudo estava “certo” comigo: minha fé era firme em Deus, eu era bem ativo na igreja local, estava casado com uma esposa maravilhosa, tinha uma linda filha e havia alcançado sucesso nos negócios.

Resumindo: era vida perfeita!

Era para eu estar vivendo a mil por hora, nos meus melhores dias. De certa forma, eu estava. Ainda assim, sentia um incômodo retumbante dentro de mim.

Era um incômodo persistente que me fazia perguntar:

  • Foi para ter essa vida que vim ao mundo?
  • Essa é a rotina que devo seguir?
  • O que eu deveria estar fazendo agora?
  • Quais tarefas eu deveria estar focando?
  • Por que continuo com essa sensação estranha de insignificância, mesmo tendo tudo o que uma pessoa da minha idade poderia desejar?
  • O que Deus realmente quer de mim?
  • Minha vocação está alinhada com meu propósito?
  • Qual é o propósito da minha existência?

Tais perguntas me atormentaram por alguns anos. Mesmo alcançando tudo aquilo que sonhara na juventude, elas persistiam.

Não sei se você já se sentiu assim, como se a vida estivesse passando em frente dos seus olhos, mas completamente sem rumo e sem significado. Parece que falta algo, mas você não sabe o quê.

Era assim que me sentia.

A sensação de descobrir meu propósito

Depois de alguns anos na busca por responder essas perguntas, elas passaram a perder força até sumir completamente. Foi um processo que envolveu muita oração, pesquisa, leitura, palestras, mentorias entre outras coisas.

Hoje, posso dizer que descobrir meu propósito de vida foi uma experiência difícil, contudo, muito enriquecedora. Todo esforço valeu a pena!

A sensação de “me encontrar”, de me sentir útil com meus dons e talentos, de saber que estou dando o melhor de mim naquilo que Deus me chamou, tudo isso é uma sensação indescritível de completude.

Não estou dizendo que já cheguei lá, que ainda não reflito sobre certos aspectos ligados ao meu propósito, chamado e vocação. Longe disso. Tudo isso continua nas minhas orações diárias.

Todavia, a sensação ruim desapareceu e me sinto dentro do caminho que Deus traçou para mim. A sensação de insegurança deu lugar à sensação de plenitude. Sinto que Deus está comigo me ajudando a deixar uma marca nessa geração.

Escrevi este artigo para isso: compartilhar algumas lições que aprendi no processo de descobrir meu propósito de vida.

Naturalmente, minhas palavras não encerram o assunto. Longe disso. Elas não são um grande tratado sobre propósito de vida e chamado. Esse não é meu objetivo.

O artigo é apenas um compartilhar de minhas experiências pessoais. Espero que as reflexões sejam úteis para você, assim como foram para muitas pessoas.

Recomendo que você leia, releia e compartilhe com os amigos.

UMA DICA: ler no computador vai ser muito melhor que no celular. Se possível, imprima.

Vai por mim, vai valer a pena!

Propósito, chamado e vocação

Antes de avançarmos, é importante definirmos os termos propósito, chamado e vocação para que não haja confusão na sua mente.

Em suma, propósito você tem um só e para realizá-lo passará por vários chamados. Propósito você só tem um, chamado você tem vários. Já a vocação, ela tem a ver com o seu “chamado natural”.

Vou explicar mais detalhadamente.

A palavra propósito significa finalidade, fim, objetivo ou sentido de algo. Em termos mais profundos, o propósito de uma pessoa é o sentido da sua vida, é a resposta para a seguinte questão: “Para quê fui criado?”

O termo chamado refere-se a uma convocação ou designação divina. Tem uma conotação espiritual, como uma missão divina em benefício das pessoas. Quando Deus chama alguém, Ele mesmo provê a capacitação e os dons. Existe o chamado comissional para todos os cristãos (“vão e façam discípulos”) e existem as designações pessoais, que cada cristão recebe de forma específica (1 Pedro 4:10).

A palavra vocação refere-se mais a um “chamado natural”. Tem a ver com quem sou (gostos pessoais, habilidades naturais, inclinações entre outros). Normalmente, é a vocação que aponta uma faculdade ou uma profissão. Para isso existem os famosos testes vocacionais. Paulo era fabricante de tendas (Atos 18:3). José, pai de Jesus, era carpinteiro (Mateus 13:55). Dorcas era uma excelente costureira (Atos 9:39).

Em suma, propósito é o que uma pessoa nasceu para ser. Chamado tem a ver com uma convocação para uma determinada missão espiritual. Vocação tem a ver com quem a pessoa é, incluindo suas características e inclinações inatas. Por vezes, chamado e vocação podem coincidir, por exemplo, quando Deus chama alguém dentro de sua profissão para desempenhar uma missão espiritual, dando uma nova perspectiva sobre suas atividades.

É assim que um empresário pode receber um chamado dentro de sua área profissional (vocação) e montar um projeto com fins espirituais envolvendo outros empresários (chamado).

Vamos a alguns exemplos:

O propósito de Moisés era ser libertador. Suas designações envolveram estar diante de Faraó, tirar o povo do Egito, levá-lo à Terra Prometida entre outras.

O propósito de Maria era ser mãe de Jesus (Gênesis 3:15). Suas designações incluíram gerar Jesus, criá-lo e cuidá-lo.

O propósito de Jesus foi conquistar a nossa salvação (João 3:17). Para cumprir esse propósito, ele foi chamado para morrer na cruz, missão que ele decidiu obedecer até o fim (Mateus 26:39). O propósito de Jesus também envolveu chamar e treinar discípulos para continuar a obra de Deus.

João Batista nasceu para preparar o caminho do Senhor. Suas missões envolveram pregar no deserto da Judeia (Mateus 3:1), denunciar o pecado, clamar por arrependimento, batizar as pessoas entre outras (chamado).

Para ficar bem claro: o propósito de uma cadeira é ser um suporte para as pessoas. Essa mesma cadeira pode ser usada para servir os convidados de uma certa festa de aniversário (chamado).

Toda pessoa tem um propósito de vida, mas para cumprir esse propósito passará por vários chamados e etapas, desde fazer uma faculdade até envolver-se com uma causa. As decisões de uma pessoa podem aproximá-la ou afastá-la do seu propósito de vida. Lembremos, entretanto, que mesmo em tempos difíceis “[…] Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito” (Romanos 8:28).

Com os esclarecimentos acima, vai ficar mais fácil você compreender seu propósito de vida. Vamos avançar?

Voltando à origem

“… a fim de que nós, os que primeiro esperamos em Cristo, sejamos para o louvor da sua glória“.

Efésios 1:12 (grifo meu)

Antes de falarmos sobre a descoberta do seu propósito, você precisa entender o propósito de Deus para a Criação. Sinceramente, não sei quais são as suas crenças espirituais, se você acredita em Deus, se frequenta alguma igreja ou instituição religiosa.

Alguém poderia replicar:

“Mas, Ramon, não quero saber de religião. Quero saber sobre meu propósito de vida!”

Não desejo falar sobre instituições religiosas aqui, mas, por ora, é importante resgatarmos a etimologia do termo religião. Uma das interpretações mais comuns da palavra religio é ligada ao termo religare, num sentido de “religar” os seres humanos a Deus.

Por que isso é importante?

Simplesmente, porque se uma pessoa não estiver atenta para isso, sua jornada para encontrar o seu propósito e compreender os chamados será muito mais difícil. Para uma pessoa completamente “desligada” de Deus será uma tarefa impossível.

Como assim?

Se não houver essa consciência lá na raiz, a vida da pessoa continua “desalinhada”. É possível “se enganar” por causa de uma satisfação temporária (por exemplo, uma vitória profissional ou o nascimento de um filho). Todavia, nada disso resolverá plenamente o persistente incômodo relacionado ao principal propósito da vida: retornar ao Criador.

Devo admitir que escrevo a partir da perspectiva cristã. Contudo, vou deixar os debates sobre a existência de Deus e sobre seus propósitos para os teólogos e filósofos.

Meu intuito agora é dizer o seguinte: todo aquele que deseja descobrir o seu propósito de vida deve primeiro investigar as raízes das suas crenças e alinhar-se inicialmente ao propósito mais importante de sua existência.

Que propósito é esse?

A Bíblia ensina que o nosso maior propósito é a glória de Deus. Toda a criação existe para a glória de Deus. Esse é o propósito supremo, o mais importante, o principal porquê de toda criação!

Quanto antes você entender isso, menos estresse enfrentará na sua jornada de descoberta.

Cristo disse:

“Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas”.

Mateus 6:33 (grifo meu)

Em certo sentido, Cristo estabeleceu prioridades: primeiro, o Reino de Deus, primeiro, a vontade de Deus. Tais palavras ecoam como um aviso urgente:

“Primeiro, se voltem para o Criador e para o seu Reino!”

Só depois disso, vêm as outras coisas. Primeiro vem a vontade dEle, depois vem a nossa vontade, propósito, chamado, vocações, causas, objetivos e tudo mais.

Paulo disse:

“Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus“.

1 Coríntios 10:31 (grifo meu)

No fim das contas, seu maior porquê é viver para a glória de Deus. Esse é o ponto de partida, é o porquê sob o qual todos os outros porquês estão submetidos. É o porquê que dá origem a todos os porquês.

Ignorar esse propósito supremo pode até trazer alguma satisfação, mas ela será temporária e limitada. É por isso que muitas pessoas de sucesso são perturbadas por uma vida sem propósito e sem significado.

Quando me dei conta disso, refleti nas etapas mais angustiantes de minha jornada. Descobri que as fases em que me senti mais perdido eram aquelas em que eu estava mais distante de Deus, vivendo pela minha glória e não pela glória dEle.

Tentar construir meu reino próprio, sem Deus, não vai preencher o meu coração. Pelo contrário, eu ficaria ainda mais “vazio”.

O rei Salomão tentou viver à sua maneira, encontrou terrível angústia, só para concluir em avançada idade que a única vida que valia a pena ser vivida era uma vida ligada a vontade de Deus (Eclesiastes 12:13,14). E olhe que estamos falando de um homem de elevadíssima sabedoria. Se Salomão chegou a essa conclusão quem sou eu para contestar!

Quer você creia ou não, voltar ao Criador é o primeiro passo. Não é nem o primeiro, é o passo zero.

Dito isso, podemos nos mover para as seguintes questões: será que existe um propósito específico para a sua vida? Se existe, como descobri-lo?

A sua impressão digital

O seu propósito de vida é único como sua impressão digital

“Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir”.

Salmos 139:13-16

Debaixo do propósito universal para todas as pessoas, há o propósito e os planos divinos para cada pessoa nessa terra. Isso quer dizer que os planos de Deus para a sua vida são únicos e que Ele pode lhe usar de um jeito muito específico.

Em Atos 13:2, vemos o Espírito Santo chamando Paulo e Barnabé para uma determinada tarefa. Você poderia perguntar: por que o Espírito chamou Paulo e Barnabé e não outras pessoas para cumprir essa tarefa? A minha resposta seria outra pergunta: isso interessa?

O fato é que Deus chama quem Ele quer, capacita quem Ele quer e da forma como Ele quer. A nossa responsabilidade é simplesmente estar sensível e seguir os apontamentos dEle.

Quando Deus me mostrou que eu deveria me tornar pastor, questionei: “Mas, Senhor, já existem tantos pastores? Por que o Senhor não usa eles?”. Hoje entendo que sou um pastor de um jeito que ninguém mais seria, de acordo com meu propósito de vida.

Não me refiro a ser melhor ou pior do que alguém. Nada disso! Me refiro a ser usado de uma maneira particular, conforme a multiforme sabedoria do Pai (Efésios 3:10).

Deus criou cada pessoa de uma maneira diferente, dotando-as com diferentes dons, talentos e recursos. Se Ele fez assim, é porque há propósito e riqueza na diversidade.

Pode ser que o seu propósito de vida ainda não esteja tão claro. É possível (e até provável) que seu propósito se assemelhe ao de outra pessoa. No entanto, Deus tem planos que são específicos para você e desígnios que são somente seus, debaixo do seu propósito.

Assim como sua impressão digital, sua carreira nessa vida é única.

Não copie ninguém

“Todas as viúvas o rodearam, chorando e mostrando-lhe os vestidos e outras roupas que Dorcas tinha feito quando ainda estava com elas”.

Atos 9:39

Na busca por descobrir meu propósito, eu já caí no erro de tentar ser outra pessoa. Eu já imitei estilos, jeitos de falar e tomei decisões estúpidas, tudo na tentativa de ser quem eu não nasci para ser.

Por algum tempo, cheguei a pensar que se eu não pudesse encontrar meu propósito poderia simplesmente “copiar” a vida de outra pessoa e me realizar nisso.

Eu queria viver o propósito dos outros!

Infelizmente, tem muita gente vivendo assim, querendo ser outra pessoa. No mundo de hoje, é muito fácil um indivíduo entrar no Instagram e desejar a vida alheia, enquanto a plenitude de uma linda jornada o espera “bem debaixo do seu nariz”.

Viver assim é um grande desperdício.

Imagine a construção de uma casa onde um pedreiro está tentando pregar o prego na madeira, mas em vez de usar o martelo está usando o serrote. Tente imaginar o pedreiro batendo no prego com o serrote ou serrando a madeira com o martelo. Tarefa difícil. Poderíamos concluir que a casa nunca ficaria pronta.

É exatamente assim que muita gente leva a vida. Existe serrote querendo pregar e martelo querendo serrar. Ao longo do tempo, isso só vai causando frustração. De fato, tentar viver o propósito e os chamados de outra pessoa faz você viver em agonia. Por quê? Porque é uma pessoa tentando ser o que não nasceu para ser.

Falo por experiência, isso é terrivelmente frustrante. A satisfação está em descobrir a própria trilha em Deus!

Veja como Moisés cumpriu seu propósito. Perceba como Deus usou a costureira Dorcas. Moisés usou seu cajado de pastor de ovelhas, Dorcas usou agulha e linha de costura. Cada um trilhou a sua carreira do jeito que Deus designou e ambos deixaram sua marca em suas gerações.

Que exemplos grandiosos!

Portanto, lute para descobrir seu propósito de vida e os planos que Ele tem para você. Não copie a vida de ninguém, senão você terminará desiludido.

Descubra-se e seja você mesmo!

3 chaves importantes para ajudar a descobrir meu propósito

“Enquanto adoravam ao Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo: Separem-me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado”.

Atos 13:2 (grifo meu)

Antes de avançarmos, preciso compartilhar 3 chaves muito interessantes relacionadas à descoberta do seu propósito e do seu chamado. A primeira delas tem a ver com sua relação com o Espírito Santo.

Algo que me chama a atenção no texto de Atos 13:2 é que o Espírito revelou um desígnio para Paulo e Barnabé enquanto a igreja adorava e jejuava. Há algo importante aqui que precisamos ressaltar.

Descobrir o propósito de vida não se trata de usar uma fórmula mágica, mas sim, de andar perto de Deus. Não é por menos que pessoas que têm vida espiritual ativa, que oram diariamente, que pedem direção ao Espírito, enfim, são as que menos têm dúvidas sobre seu propósito.

A segunda chave tem a ver com não “ficar paralisado” no processo.

“Em qual sentido, Ramon?”

Algumas das pessoas que não têm muita clareza quanto ao seu propósito podem concluir que a melhor estratégia é “tirar o time de campo” até descobrirem plenamente o sentido de suas vidas.

Já me perguntaram:

  • Ainda não sei direito qual é o meu propósito de vida. Devo ficar sem fazer nada?
  • Não sei se minha vocação está alinhada com meu propósito. Devo largar meu emprego até encontrar um trabalho apaixonante, ligado ao meu porquê?
  • Devo esperar algum sinal de Deus para me envolver em algum projeto ou causa?
  • Se ainda não tenho certeza do que fazer, por que arriscar?

A minha opinião sobre tudo isso é: não fique parado.

Em minhas pesquisas, incluindo os livros que li, as biografias que estudei e as palestras que assisti, enfim, eu sempre percebi que as pessoas com o propósito mais claro são aquelas que estão sempre “em atividade”. De fato, elas não conseguem ficar paradas. Não estou me referindo a negligenciar o tempo de férias, reflexão ou descanso.

Nada disso.

O que quero dizer é que você não precisa paralisar sua vida se não tiver clareza sobre seu propósito, chamado e vocação.

Enquanto não alcançar certezas, se envolva com atividades que você gosta. Seja voluntário em algum lugar. Sirva na sua igreja. Abrace alguma causa na sua cidade. Faça novos amigos. Enfim, viva o seu presente intensamente.

“Quem escolhe lugar para servir é porque quer ser servido pelo lugar que escolheu”.

Hédio Jandre

Para que Davi fosse ungido por Samuel, tiveram que chamá-lo no campo. Ele era pastor de ovelhas. Quando Jesus chamou os doze apóstolos, eles não estavam ociosos, se perguntando qual era o sentido da vida.

Eliseu estava lavrando a terra, debaixo do sol com a mão na massa. Todos estavam envolvidos em alguma atividade quando foram surpreendidos com uma missão!

Mesmo em meus grandes momentos de dúvida e angústia eu não fiquei parado. Montei negócios, iniciei projetos, servi em minha igreja local, constituí uma família, e tudo isso, com a cabeça cheia de dúvidas com relação ao meu propósito de vida. Contudo, eu nunca paralisei minha vida.

A chave está aqui: enquanto você estiver em atividade, aproveite para ir se descobrindo. Estude sobre autoconhecimento, se conheça melhor, leia livros e faça cursos. Converse com pessoas sábias capazes de lhe dar bons conselhos.

A medida que for alcançando clareza sobre seu propósito, você pode ir fazendo os ajustes necessários em sua vida. Talvez, iniciar um novo projeto, abraçar uma causa ou terminar um namoro que não tem nada a ver com o que Deus quer de você. Vá ajustando seu curso conforme você vai tendo mais clareza.

Enquanto você trabalha, Deus trabalha em você!

A terceira chave tem a ver com os ciclos de sua vida, pois, como já vimos, os desígnios de Deus são temporais. Davi viveu um tempo de sua vida como pastor de ovelhas, mas também cumpriu o seu chamado como rei de Israel, cada chamado no seu devido tempo. Enquanto o propósito tem a ver com sua vida inteira, os chamados estão mais ligados a um espaço e período limitados.

Quando um homem casa, ele se dedica à sua esposa. Quando um casal tem filho, o foco é cuidar do filho. Pode ser que você se dedique a um certo ministério em sua igreja, mas depois de um tempo precise se dedicar a outro chamado Deus. Não há problema algum. O importante é que tudo esteja ligado ao seu propósito de vida.

Portanto, não fique tão preocupado por sentir que precisa encerrar um ciclo e começar outro. Não fique se martirizando por não ter um “chamado único” na vida.

Assim como Davi, cumpra suas temporadas dando o melhor de si para a glória de Deus!

Investigue seus talentos

“A um deu cinco talentos, a outro dois, e a outro um; a cada um de acordo com a sua capacidade”.

Mateus 25:15

Agora, quero compartilhar algumas dicas que podem ajudar você a descobrir o seu propósito com base nos seus dons e talentos.

Em Mateus 25:14-30, aprendemos que Deus distribuiu talentos para cada pessoa, conforme a capacidade deles.

O que significa “talento” na parábola?

Na época de Cristo, um talento era cerca de 34 quilos de ouro. Certamente, se tratava de um bem muito precioso! O talento representa tudo o que Deus nos “emprestou” para cumprirmos nosso propósito e desígnios aqui na terra: oportunidades, recursos, dons espirituais, talentos naturais, enfim, absolutamente tudo.

Todas as pessoas receberam talentos, uns mais, outros menos. O fato é que Deus “emprestou” uma verdadeira fortuna para cada um de nós!

Isso é muito importante porque os talentos que você recebeu podem lhe dar mais clareza acerca do seu propósito. Depois de ler este artigo, pegue papel e caneta e vá para um lugar silencioso.

Reflita nas seguintes perguntas:

  • Quais são as habilidades naturais que tenho?
  • Em que áreas pareço ter mais facilidade?
  • Quais são as habilidades que as pessoas enxergam em mim?
  • Quando meus familiares e amigos me elogiam, sobre o quê eles falam?
  • Qual foi a última vez que uma pessoa me pediu ajuda para algo que ela não conseguiu resolver sozinha?
  • Em quais áreas costumo ajudar as pessoas?

No meu caso, as pessoas sempre reconheceram em mim uma facilidade para escrever e ensinar. Escrevi meu primeiro livro aos vinte anos. Este artigo que você lê agora, as minhas postagens no Instagram, o material de ensino da minha igreja, tudo isso é fruto de uma capacidade para escrever que Deus me confiou.

Eu não enxergava nada disso! Até hoje, minha esposa costuma me lembrar dessa habilidade que possuo. Penso que ela é um anjo de Deus que não me deixa esquecer.

Quando me dei conta disso, percebi que meu propósito tinha a ver com ensino, mentoria, cursos, aulas, palestras, livros, sermões e congêneres. Lá atrás, eu não tinha noção de onde ia chegar, mas algumas das habilidades que identifiquei me ajudaram a “corrigir a rota” da minha vida.

Passei a ter mais clareza sobre quando dizer sim e quando dizer não para as demandas que apareciam. Já rejeitei grandes oportunidades de negócio por considerar que nada tinham a ver com meu propósito de vida.

E, quanto a você?

Para onde sua vida está inclinada? No que você é bom? O que você faz com uma facilidade que outras pessoas não fazem? Você já ensinou uma pessoa a fazer alguma coisa que ela não sabia? Já teve que explicar algo para alguém que você considerava fácil demais?

Tudo isso pode indicar mais clareza quanto ao seu propósito de vida.

Investigue seus talentos.

Valorize seus talentos

“Se você se encontrar sem talento natural para algo, pergunte-se: Fui criado para fazer isso? Estou preparado para fazer isso?”

Erwin MacManus

As áreas em que você não tem habilidade natural podem indicar caminhos que você não deveria trilhar. Se ter um talento pode indicar o caminho, a ausência de talento pode indicar que o caminho não é por ali. O processo de descobrir meu propósito passa por enfrentar essa dura realidade. Uma pergunta:

Você canta bem?

Não sei se você tem ouvido e boa voz para cantar. Muita gente que conheço já expressou o “sonho” de ser um bom cantor. O fato é que nem todo mundo “nasceu para isso”, ou seja, nem todo mundo nasceu com aquela voz arrebatadora.

Apesar disso, todo mundo “canta bem” no chuveiro.

Aqui abro um parêntese: acredito em milagres. Acredito que Deus pode “operar” as pregas vocais de alguém para algum chamado específico. De fato, Deus pode capacitar qualquer pessoa para uma determinada missão. Essa não é a questão aqui.

A questão é que se você não nasceu com “bom ouvido”, se não desenvolveu sua percepção musical na infância e não tem uma boa voz, provavelmente seu porquê não estará ligado a isso. Muito provavelmente, seu propósito e seus chamados não apontarão para uma vida musical, com você cantando diante das multidões ou gravando músicas.

Sei que a realidade pode ser dura de escutar.

Sou um exemplo claro disso. Já cantei na igreja, gravei CDs e compus várias músicas. Tenho ouvido para a música, mas não tenho uma boa voz para cantar. Hoje, cantar faz parte do meu passado. O cumprimento do meu propósito provavelmente não envolverá uma carreira como cantor ou algo parecido. Isso foi um chamado temporário de Deus para mim, mas já passou. Se continuar insistindo nisso, vou me frustrar de graça.

Aprendi a valorizar o que Deus me deu e não o que Ele não me deu. Já fui um serrote que tentou ser martelo e não funcionou.

Valorize os talentos que Deus lhe deu e deixe para trás o que Ele não lhe deu.

O que você ama e o que você odeia

O que você ama ou odeia pode revelar sua vocação

“Que tipos de trabalho você faria completamente de graça, só pelo prazer que tem na atividade em si?”

Let’s Elevate – Ramon Tessmann (grifo meu)

Enxergo a criatividade como a busca de soluções. Problemas catalisam a criatividade.

Os grandes oradores não podiam ser ouvidos, então inventaram o microfone. Adão estava só, então o Senhor criou Eva. Sem Davi, os israelitas poderiam ter sido destruídos por Golias. Sem a prensa de Johannes Gutenberg, os livros não seriam impressos e circulados em tão larga escala. Através de Elias, Eliseu pôde aprender tudo o que aprendeu.

Você é uma solução viva para alguém!

Deus usa pessoas para abençoar pessoas. Você é a solução que alguém está precisando. Por mais “insignificante” que você se ache, existem pessoas que precisam daquilo que você é e tem neste exato momento. Você pode se considerar a pessoa mais inútil da terra e ainda assim, tem gente precisando ser abençoada por quem você é e pelos talentos que Deus confiou a você.

Repito: você é a solução viva para alguém! Não se esqueça disso.

Já vimos que suas habilidades naturais podem indicar o seu propósito e chamado. Agora, revelo outra coisa que aprendi na busca por descobrir meu propósito: aquilo que gosto de fazer pode indicar com mais clareza o caminho que devo seguir. Anote aí:

Aquilo que você mais ama fazer pode revelar sua missão de vida!

Você já parou para analisar quais são as atividades que você mais gosta? Já identificou as áreas do conhecimento humano pelas quais você é mais apaixonado? Qual profissão você sempre sonhou em ter? Que tipos de trabalho você faria de graça, só pelo prazer que tem na atividade em si? O que lhe deixa animado e cheio de energia?

“Se você é apaixonado pelo processo e não apenas pelo resultado, isso pode indicar que você está no caminho certo”.

Erwin MacManus (grifo meu)

Já falei antes que Deus me confiou uma habilidade para escrever e organizar ideias. Amo tanto essa atividade que passei a minha vida inteira escrevendo sem receber nada em troca! Muito pelo contrário, eu só gastei tempo e dinheiro no processo.

Mas, eu amo escrever!

Escrevo simplesmente por prazer. Não precisa ninguém ficar exigindo que eu escreva, isso simplesmente sai de mim. Escrever me energiza!

Deus me criou dessa maneira e tinha um propósito para isso. Agora mesmo, você está aqui lendo este artigo e ele está lhe abençoando, não é mesmo?

E quanto a você? O que ama fazer?

Talvez, você:

  • Ame crianças e se diverte com delas.
  • Goste de computadores e tecnologia.
  • Adore viajar e conhecer novos lugares.
  • Seja apaixonado por cantar ou tocar um instrumento.
  • Sonhe em empreender o próprio negócio.
  • Ame a natureza e os animais.
  • Se interesse por desenho, pintura ou poesia.
  • Ame ensinar e falar em público.
  • Goste de organizar as coisas e manter tudo em ordem.
  • Sonhe em trilhar carreira pública ou política.
  • Seja apaixonado por cálculos matemáticos e encontrar soluções.
  • Ame se relacionar com pessoas.
  • Goste de cuidar da família e dos afazeres do lar.

Outra coisa que descobri é que as coisas você mais odeia também podem indicar o seu propósito.

Talvez, você:

  • Odeie sujeira e não pode ver um local sujo sem entrar em agonia.
  • Não suporte ver uma pessoa escravizada pelas drogas.
  • Odeie as injustiças da nossa sociedade atual.
  • Não goste de ver uma pessoa passando fome.
  • Tenha ojeriza pela corrupção na política.
  • Odeie ver alguém maltratando um animal.
  • Tenha raiva de ver alguém sofrendo racismo.
  • Não aceite ver uma família destruída, um lar despedaçado.
  • Não suporte ver o orfanato ou o asilo da sua cidade lotados.
  • Sinta profunda tristeza ao ver as pessoas desprezarem a saúde física ou emocional.

Tudo isso, as coisas que você ama ou que odeia, pode revelar o seu propósito na vida.

Alguns exemplos:

  • Alguém que odeia endividamento, pode se tornar um consultor financeiro.
  • Alguém apaixonado por crianças, pode trabalhar em um orfanato ou em uma creche.
  • Uma pessoa que odeia a situação das drogas, pode montar um projeto na igreja local para trabalhar com a restauração de dependentes químicos.
  • Você que ama a cantar e compor músicas, pode usar seu talento para transmitir sua mensagem para as pessoas.
  • Uma pessoa que sofre ao ver um lar despedaçado, pode trabalhar com a educação e restauração de famílias. Pode escrever um livro, criar um blog, dar palestras, enfim.

Acredito que você já tenha entendido a ideia: você é a solução viva para alguém!

Tudo aquilo que você ama ou odeia pode indicar com mais clareza o seu porquê, os seus desígnios e ajudá-lo a deixar sua marca na vida das pessoas.

Foque no seu propósito

“O tolo levanta o machado e sai cortando toda árvore que ver. O sábio entende que nem toda batalha é dele, que nem toda árvore é para ele cortar. Quando pegar o seu machado e descobrir a sua árvore, continue golpeando-a até ela cair”.

Erwin MacManus

Conforme você vai se descobrindo e entendendo mais sobre o seu propósito e chamado, vá dedicando cada vez mais energia em desenvolvê-los. Isso pode significar que você terá que deixar algumas coisas para trás.

Você não precisa se sobrecarregar. Foco é importante!

Quando você está dirigindo de volta para casa e escolhe ir por uma determinada rua, você está automaticamente ignorando todas as outras. Uma vez que você descobre qual é o seu caminho, vá por ele e esqueça dos outros caminhos.

Se o seu propósito já é claro para você, foque-se nele e cumpra o chamado vigente!

Os apóstolos tiveram que tomar essa decisão, porque estavam sobrecarregados (Atos 6:4). Cristo se negou a tratar com pessoas de outros povos, porque não era sua missão primordial (Mateus 15:24). Moisés teve que decidir se focar nas causas mais difíceis do povo, deixando o restante com outros líderes (Êxodo 18:22).

Você não veio para resolver o problema do mundo inteiro. Cuide para não se envolver com mais coisas do que pode suportar. Evite ir por caminhos que você não foi chamado para trilhar. Foque-se em fazer uma única coisa (ou poucas) porque a tarefa será bem feita. Isso irá trazer glórias a Deus e proporcionar um sentimento de satisfação e de dever cumprido.

“Paulo batizava muito pouco em razão da falta de tempo, pois tinha de pregar em lugares diferentes e longínquos; batizou apenas os coríntios Crispo, Caio e Estéfanas (1 Coríntios 1:14-16), pois pregar era sua principal função (1 Coríntios 1:17)”.

Thomas Hobbes (grifo meu)

Assim como Paulo, você não precisa “derrubar todas as árvores”. Foque-se no que você nasceu para ser e fazer. Afie o seu machado e derrube apenas as árvores que você foi designado para derrubar.

Qual é o próximo passo?

Cristo em seu propósito

“Depois de muito tempo o senhor daqueles servos voltou e acertou contas com eles“.

Mateus 25:19

Você pode ter chegado até aqui com a seguinte dúvida:

“Ramon, e agora? Já consigo ver as coisas com mais clareza, mas, o que faço daqui em diante? Qual é o próximo passo que você daria?”

Como já disse, não existe uma fórmula mágica que funcione para todas as pessoas da mesma forma. Contudo, posso lhe dar um conselho:

Dê uma olhada no mundo à sua volta.

Fique atento às necessidades das pessoas ao seu redor. Olha para sua família e para os seus amigos. Será que você não consegue se enxergar usando seus dons e talentos para ser a solução viva para alguém que está perto?

Olhe para o lugar onde você trabalha. Analise todos os departamentos e repartições que você pode se envolver ou almejar. Preste atenção nas oportunidades relevantes que aparecem. Fique atento às portas que se abrem e veja se elas não fazem sentido para você. Sua vocação pode indicar seus primeiros passos na descoberta do seu propósito.

Pense um pouco na igreja que você frequenta. Reflita nas inúmeras maneiras que você pode servir na sua comunidade. Quem sabe, você possa trabalhar com adolescentes ou na recepção. Talvez, goste de música ou de ensino. Não importa, desde que você se envolva.

Se já existe o ministério que você “se encaixa”, seja um voluntário. Se não existe, que tal começá-lo?

Agora, olhe para a sociedade atual. Perceba quantas profissões, áreas, empreendimentos, projetos e causas existem por aí. Será que nada lhe atrai? Não há nada que você possa se envolver? Será que neste exato momento não existe uma pessoa precisando justamente do que Deus confiou a você?

Por fim, talvez você seja alguém criativo, como um empreendedor ou, quem sabe, um inventor. Pode ser que o seu propósito envolva algo que ainda não foi criado (e que será criado por você)! Quem sabe um projeto, uma empresa, uma nova causa, enfim, eu sinceramente não sei.

Meu trabalho aqui é apenas lhe provocar.

Fique com seu radar sempre ligado e quando se sentir “fisgado” por algo, tome uma atitude.

Quando as coisas ficarem claras, mergulhe no seu propósito o mais fundo que puder!

Resumão: Como descobrir meu propósito de vida?

Espero que este artigo tenha ajudado você. Escrevi cada palavra com o coração na tentativa de trazer um pouco mais de luz na sua caminhada.

Antes de finalizar, quero lhe entregar um presente, que é o resumo prático e objetivo de tudo o que vimos. Em troca, eu gostaria de lhe pedir o seguinte: compartilhe esta página com seus amigos porque o conteúdo pode ajudar muita gente que ainda está confusa.

Frequentemente, encontro pessoas completamente “perdidas”, não sabendo o que fazer com suas vidas. Este artigo pode ser uma pequenina bússola a trazer mais clareza e direção para quem precisa. Desde já, agradeço por você compartilhar.

Vamos ao resumo:

  1. Retorne ao Criador e alinhe-se com o supremo propósito de sua existência. Seu maior porquê é viver para a glória de Deus. Todos os outros propósitos se submetem a isso.
  2. As pessoas que meditam na Bíblia, oram e fazem reflexões diárias são as que menos têm dúvidas sobre seu propósito de vida.
  3. Fora o propósito universal, o propósito de Deus para sua vida é único. Você é singular e Ele tem planos específicos para você. Moisés usou um cajado, Dorcas usou agulha e linha de costura. Não importa quem você seja e o que faz, você pode deixar uma marca na sua geração se estiver alinhado com seu propósito de vida.
  4. Nunca copie a vida de ninguém. Seja você mesmo e busque viver o que Deus tem para você.
  5. Se você ainda não tem clareza sobre seu propósito e chamado não precisa ficar paralisado. Viva o presente intensamente, se envolva com as atividades que você gosta, dê o melhor na sua profissão, seja voluntário em sua igreja, enfim, viva! Enquanto você trabalha, Deus está trabalhando em você.
  6. Estude sobre autoconhecimento. Se conheça melhor, leia livros, faça cursos e tenha bons conselheiros.
  7. Os desígnios são temporais. Não se preocupe se você tiver que encerrar um ciclo e iniciar outro. Cumpra suas temporadas dando o melhor de si e vivendo para a glória de Deus.
  8. Seus dons e talentos podem apontar para o seu propósito. Investigue todos os dons e talentos que você possui.
  9. Da mesma forma, a ausência de um certo dom ou talento pode significar que o seu caminho não é por ali.
  10. As coisas que você mais ama fazer podem trazer mais clareza sobre o seu propósito. O mesmo vale para as coisas que você mais odeia no mundo.
  11. Você é a solução viva para alguém. Neste exato momento, existe alguém em algum lugar que está precisando daquilo que você é ou possui.
  12. Uma vez que você tenha clareza sobre seu propósito, tenha foco. Mergulhe “de cabeça” nele e esteja preparado para ignorar caminhos que não fazem sentido para você.

Desejo do fundo do meu coração que você encontre o seu caminho em Deus.

Avançando para o Alvo,
Ramon Tessmann

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no print
Imprimir

DESCUBRA O QUE A BÍBLIA FALA SOBRE SEPARAÇÃO E DIVÓRCIO

Livro gratuito por tempo limitado. Aproveite e baixe agora!

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo