Conheça a Escala Pentatônica


Fala tecladista! No artigo de hoje vamos estudar a Escala Pentatônica, mais precisamente a Escala Pentatônica Maior. Logo de início eu tenho que confessar que eu adoro essa escala musical. Isso por vários motivos, sendo que o principal deles é facilidade da aplicação, que une sonoridade à simplicidade.
A Escala Pentatônica Maior é uma escala que pode enganar pela simplicidade dando a impressão que seu uso possa tornar arranjo do pianista pouco sofisticado. Ledo engano. Bem, ela é sim uma escala simples, mas se bem utilizada, pode trazer efeitos interessantes. Por essa razão, ela é usada largamente em vários estilos musicais, incluindo Rock, Jazz, Blues entre outros.
O termo “pentatônica” aponta para as 5 notas que a escala possui, diferente da escala “heptatônica” (7 notas), como são as escalas maiores e menores, por exemplo. Então, se você for construir a Escala Pentatônica no piano terá apenas 5 notas. Uma coisa interessante é que essas notas são tão bem encaixadas que é praticamente impossível você “errar” na hora de improvisar. É isso mesmo que você ouviu.
Imagine que você está tocando uma música qualquer, com uma simples progressão de acordes, como C – F – Am – G. Se você executar (de forma ascendente ou descendente) a Escala Pentatônica de Dó nessa sequência de acordes, todas as notas “encaixarão” tranquilamente. Talvez seja por isso que a Pentatônica seja uma escala amada pelos músicos improvisadores.
Mesmo se você é um músico iniciante terá facilidade para aprender essa escala e provalvente o som dela já familiar para você. Acredite, seus ouvidos não levarão um choque quando você ouvir a Escala Pentatônica, o que não ocorre com outras escalas musicais mais complexas. Faça o teste. Vá ao teclado e toque as 5 notas da escala e você terá a impressão que já ouviu isso em algum lugar. E provavelmente você já ouviu!

Escala Pentatônica: como é formada

Vamos formar a Escala Pentatônica. Abaixo estão os graus:

1 2 3 5 6

Por exemplo, para montar a Escala Pentatônica de dó, as notas seriam:

dó ré mi sol lá

Agora vá ao piano para tocar essas notas e preste atenção na sonoridade dela. Gostou do que escutou?
Veremos agora as possibilidades de uso.

Aplicando a Escala Pentatônica

Diferentemente de outras escalas, hoje não passaremos muito trabalho para descobrir quando executar a escala pentatônica maior. Quando estamos aprendendo escalas musicais (Escala de Blues, por exemplo) mais complexas é comum nos depararmos com várias regrinhas de uso para não cometermos nenhum deslize tocando notas erradas na hora.
Essa é a boa notícia de hoje: você pode executar a Escala Pentatônica sem medo sobre vários acordes. Como primeiro exemplo, cito o acorde maior. Imagine que você tem o acorde de C (Dó Maior) em uma música, você pode usar a Escala Pentatônica de Dó nele. Isso vale o mesmo acorde contendo extensões (7,9,11,13).
Você poderia usar a escala sobre o acorde relativo de C, que seria o Am (Lá menor). Então, se houvesse uma progressão de acordes contendo C e Am, você usaria a Escala Pentatônica de Dó tranquilamente.
E não só isso…
Você também pode usar a Escala Pentatônica sobre os acordes de uma tonalidade maior. Vamos pegar os acordes do Campo Harmônico de C. São eles:
C – Dm – Em – F – G – Am – Bø
Você poderia executar a escala sobre esses acordes, caso eles aparecessem na música. Ou seja, praticamente onde poderia ser executado uma escala maior, você poderia executar a Escala Pentatônica. O mesmo vale para as escalas menores (mas vamos falar disso em outro artigo).

Em qual acordes usar?

É possível usar a Escala Pentatônica com alguns acordes específicos. Anote aí:

C C6 C7 e acordes maiores com mais extensões…

Veja como vai ficar tocando os acordes C C6 C7 com a mão esquerda (acorde cheio) e a Escala Pentatônica na mão direita.

E para finalizar…

Como falei no início do artigo, eu amo essa escala porque apesar da simplicidade ela pode ser uma aliada poderosa para o músico. Eu recomendo que você exercite a Escala Pentatônica em todas as tonalidades. Esse é o primeiro passo.
Depois disso, procure aplicar essas escalas nos acordes maiores das músicas que você já conhece e já toca. Ou seja, aplique a escala no seu repertório. Dessa forma, você estará “fixando” bem as Escalas Pentatônicas na sua mente e principalmente nos seus dedos.
Caso você queira se aprofundar no tema escalas, recomendo que estude o material completo de escalas musicais que temos aqui no Aprenda Piano. Isso fará você desvendar o mundo das escalas no piano. Valeu!
Até amanhã,
Ramon Tessmann

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

VAMOS APRENDER TECLADO DE FORMA EMPOLGANTE?

Destrave o seu talento musical com este guia completo!

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Ramon Tessmann

Desde o início de sua trajetória, Ramon se mostrou inconformado com seu aprendizado musical. Começou sua carreira em 1991 e alcançou crescente notoriedade através de sua escola Aprenda Piano, que conta hoje com mais de 20 mil alunos em 17 países. Depois de longos anos, sua busca incessante originou um método de ensino musical de alto resultado que ele compartilha no treinamento Extraordinários.