Os graus da Escala Negativa | Dica de Teclado #31

Fala tecladista! Aqui é a Raquel Xavier do Aprenda Piano para a Dicas de Teclado #31. E nosso assunto são os graus da escala negativa.
Hoje iremos falar mais especificamente sobre os graus da escala negativa.
A harmonia negativa vem tendo um destaque generoso no meio musical, por isso aqui no Aprenda Piano estamos querendo te deixar a par de tudo que tem acontecido e dos assuntos musicais do momento.
Saber e entender sobre a escala é o primeiro passo para construir uma harmonia, por isso estamos focando na escala para que depois seja mais fácil de construir uma harmonia.
Então, vamos lá!

Melhor ebook sobre como aprender teclado agora é de graça.

Baixe o seu clicando aqui!

PARA QUE SERVEM OS GRAUS?

Essa é uma grande questão e muitos músicos iniciantes tem essa dúvida martelando na sua cabeça, e confesso que é um alívio quando realmente conseguimos pensar tudo em graus, porque eles facilitam a vida.
Mas especificamente podemos dizer que os graus servem como um tipo de GPS musical, que ajuda a nos localizamos musicalmente.
Como se os graus mostrassem a direção para ir, ou onde fica o norte, podemos associar de diversas maneiras.
Usar os graus torna mais fácil a aprendizagem, execução e comunicação musical, então por favor, se esforce para saber mais sobre os graus.

FORMANDO A ESCALA NEGATIVA

Assim como formamos uma escala iremos formar a escala negativa, seguindo uma ordem básica de intervalos que irão dizer quais notas formam essa escala.
Primeiro de tudo, encontrar uma escala maior, que tal irmos devagar e começar do dó? Veja a escala maior de dó:

dó – ré – mi – fá – sol – lá – si – dó

E agora a ordem dos intervalos:

TOM – TOM – SEMITOM – TOM – TOM – TOM – SEMITOM

Raquel, porque estamos falando de escala maior? O que ela tem a ver com a escala negativa?
Bom, tudo a ver! Ela é a base e o nosso norte porque é nela que encontramos a primeira nota da escala negativa.
A primeira nota da escala negativa é a quinta nota (quinta justa) da escala maior, ou seja, no nosso caso a nota sol.
É a partir da nota sol que iremos formar a escala negativa.
Pense comigo: se as escalas “normais” (positivas) nós construímos indo “para frente” a escala negativa iremos construir indo “para baixo”, voltando.
Veja, estamos na nota sol certo? Seguindo a ordem de intervalos da escala maior teremos que andar um tom, mas esse tom que iremos andar NÃO É para cima (lá), será para baixo chegando na nota fá. Observe:

sol  – fá

T

Deu para entender como irá funcionar?
Agora rapidamente vou te mostrar intervalo por intervalo:
Sol < -tom > fá
Fá < -tom > mib
Mib < -semitom > ré
Ré < -tom > dó
Dó < -tom > sib
Sib < -tom > láb
b < -semitom > sol
Veja todas as notas que encontramos juntas:
sol – fá – mib – ré – dó – sib – láb – sol
Escala negativa ENCONTRADA! Esta é a escala negativa de G ou escala espelhada de C. 😉

OS GRAUS DA ESCALA NEGATIVA

Para encontrar os graus da escala maior nós colocamos o número 1 na primeira nota e depois é só ir enumerando, na escala negativa não será diferente, veja:

sol – fá – mib – ré – dó – sib – láb – sol

1  – 2  – 3 –  4  –  5  –  6 – 7 – 8

Lembre-se que a escala negativa vai para um sentido direita para esquerda.
No mundo positivo o sétimo grau seria a nota , mas aqui no negativo ele será o segundo grau.

Aprendizado acelerado no teclado? Este livro revela o segredo

Clique aqui e garanta o seu!

COMPARANDO A ESCALA MAIOR E A ESCALA NEGATIVA

Chegou a hora de você ver como é que exatamente a escala negativa está para com a escala maior.

Observe a escala maior na parte superior da imagem indo para o lado positivo, e a escala negativa na parte inferior da imagem indo para o lado negativo.
Agora sim, ficou mais nítido tudo! Rsrs.
Por exemplo, na escala maior a nota é o primeiro grau, já na escala negativa ele será o quinto grau. Por isso é importante estudar e saber os graus da escala e ainda mais, compará-la com a escala maior.

FINALIZANDO

Bom agora que você já teve sua experiência no mundo negativo, tente montar mais escalas negativas só que agora em outras tonalidades.
Se você tem alguma dúvida deixe um comentário!
Naturalmente, um assunto como esse é muito complexo para ser abordado nestas dicas diárias, por isso eu te aconselho a entrar na próxima turma do Extraordinários, que é um treinamento completo que abrange assuntos como este e com mais detalhes!
Para mais aulas e conteúdos sobre música, teclado e piano:

Faça o download grátis do livro “COMO TOCAR TECLADO BEM”.
Um abraço e até a próxima,
Raquel Xavier

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

VAMOS APRENDER TECLADO DE FORMA EMPOLGANTE?

Destrave o seu talento musical com este guia completo!

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Ramon Tessmann

Desde o início de sua trajetória, Ramon se mostrou inconformado com seu aprendizado musical. Começou sua carreira em 1991 e alcançou crescente notoriedade através de sua escola Aprenda Piano, que conta hoje com mais de 20 mil alunos em 17 países. Depois de longos anos, sua busca incessante originou um método de ensino musical de alto resultado que ele compartilha no treinamento Extraordinários.